0

Houve momentos na vida da Grace Fellowship Church em que passamos por alguns sermões ruins. Você poderia até dizer que nesses momentos nós passamos por sermões ruins de propósito. Ouvimos homens pregando textos que estavam claramente além de sua capacidade de entender e explicar. Ouvimos homens pregando com todo o fogo de Paul Washer, mas sem a sua profundidade ou preocupação pastoral. Nós ouvimos homens pregando que foram negligentes para garantir que o sermão realmente tivesse um ponto principal e um esboço. Havia outros homens que tentamos ouvir enquanto lutávamos desesperadamente contra a distração por seus tiques e peculiaridades. Nós nos sentamos  diante de alguns sermões bem terríveis, alguns dos quais eram, sem dúvida, meus. Mas nós consideramos isso um privilégio. Nós contamos isso como alegria. 

Nós contamos como alegria porque esses sermões ruins vieram de homens desabituados que estavam aprendendo a pregar. Um homem pode ler cem livros sobre pregação e assistir a mil sermões no YouTube, mas a única maneira de aprender a pregar é pregando. Mais cedo ou mais tarde, ele simplesmente precisará ficar atrás de um púlpito, abrir sua Bíblia e iniciar sua introdução (supondo que ele se lembre de preparar uma). Não há muitos pregadores que saiam sem pregar algumas coisas que cheiram mal ao longo do caminho. Não há muitos pregadores que possam se tornar qualificados sem primeiro serem novatos, que podem crescer em excelência sem antes serem medíocres ou medianos.

Há pouco tempo vi um vídeo de jovens gansos deixando seus ninhos pela primeira vez. Isso parece bastante simples, exceto que para escapar de predadores esses gansos se aninham ao longo de penhascos a centenas de metros acima do solo. O único caminho é mergulhar. Com certeza, esses pequeninos gansos de três dias obedientemente pularam do penhasco e desabaram, atingindo cada rocha, galho e afloramento ao longo do caminho. Eles eventualmente caem no chão atordoados. De alguma forma, milagrosamente, a maioria deles parece sobreviver. O salto realmente contribui para a resistência da espécie, uma vez que garante que apenas os mais fortes sobrevivam.

Mais cedo ou mais tarde, todo aspirante a pregador precisa dar um passo à frente. Sabendo que ele é inadequado para a tarefa, sabendo que ele está sem raciocínio, sabendo que a congregação está acostumada a ouvir um pregador hábil, ele vai ao púlpito e prega seu primeiro sermão, e depois o segundo e o terceiro. Ele inevitavelmente dá alguns solavancos e atinge galhos ao longo do caminho. Mas ele também aprende a arte, o ofício, da pregação. Ele se torna confiante, ele se torna habilidoso.

Hoje, muitos desses jovens que pregaram sermões ruins na Grace Fellowship Church continuam a ministrar na área de Toronto. Eles estão entre os meus pregadores favoritos e eu aguardo ansiosamente todas as oportunidades para ouvi-los expor as Escrituras. Eles sobreviveram e prosperaram. Nós também sobrevivemos e pudemos alegremente recomendá-los a outras igrejas como homens que podem habilmente lidar com a Palavra de Deus.

Jovens pregadores, pregadores novatos, pregam sermões ruins. Eles pregam sermões ruins enquanto aprendem a pregar bons sermões. E de certa forma, esses sermões ruins servem como um sinal da saúde e força de uma igreja porque provam que a igreja está cumprindo seu mandato de levantar a próxima geração de pregadores, e a seguinte depois dessa. Eles provam que a igreja se recusa a ser tão motivada por um desejo de demonstrar excelência que ela não arriscará o fracasso ocasional. Eles provam que a congregação é madura o suficiente para suportar e até mesmo apreciar essas primeiras tentativas confusas. Há beleza escondida, valor escondido, nesses sermões ruins.

Tim Challies

Original: The Hidden Beauty of a Bad Sermon

Tradutor: Pedro Pamplona (@pedromcp)

Leave a Reply